0
Viagens

Conhecendo Alicante, na Espanha

17 de julho de 2017

Esse post faz parte de uma viagem que fiz em abril desse ano pra Europa, de Lisboa a Berlim, passando também pela Espanha e França.

Alicante foi a terceira cidade que conheci da Europa, e nessa altura já estava com a Duda, que foi minha companheira/sócia/companhia de cama na viagem. Alugamos um carro de um lugar meio duvidoso em Calpe e, apesar de termos ouvido que não tinha muita coisa pra se conhecer em Alicante, fomos em busca de um lago que ficava rosa em alguns períodos do ano.

Foram mais ou menos três horas de carro entre Calpe e Alicante, e chegamos já de cara pra um dos inúmeros restaurantes maravilhosos da cidade. A comida lá era muito boa em todo canto que a gente ia, do boteco ao mais bem avaliado do Foursquare. Comemos peixe, cogumelo, presunto cru, queijo de cabra e até carne de coelho. E que carne de coelho…

Essa foi a cidade que mais mexeu com as minhas entranhas porque, bizarramente, a gente lidou com coincidências intensas e pessoas muito abertas. Fomos parar num Airbnb que parecia a maior roubada (5 quartos com desconhecidos pelo preço mais barato do site), onde trombamos um casal gay de italianos que tinha acabado de se mudar do Brasil, uma dupla de concunhadas espanhola e venezuelana que falavam português, um finlandês que apareceu com a camisa da seleção brasileira pra fazer um agrado e um intercambista francês cujo quarto inundei depois do primeiro banho. Foram duas noites na cidade e, na despedida, ainda recebemos um jantar massa do finlandês, que se chamava Juho.

Ainda teve essa: chegando na cidade, alugamos o Airbnb e fomos procurar um lugar pra parar o carro alugado. Entrei numa avenida errada e dei de cara com essa locação de um fotógrafo chamado Mirete, já publicada aqui no blog. Não fazia ideia de que a foto tinha sido feita nessa cidade. Surtos.

Outra: a gente entrou num lugar chamado Centro de Saúde Alternativa e passou horas fazendo numerologia, reiki e acupuntura com a dona do espaço. Muita coisa importante foi ouvida nesse dia.

E outra: quando fomos devolver o carro, cheias de malas no aeroporto, conhecemos o Manuel, que trabalhava em uma das locadoras. Os preços estavam muito altos e ele meio que vetou a gente de alugar e, em troca, ofereceu uma carona de volta pra cidade. Ficamos meio receosas a princípio, mas fomos e o cara era bem massa. Depois de alguma insistência da minha parte, consegui fazer um retrato.

Enfim, Alicante passa meio esquecida nos roteiros de brasileiros que vão pra Espanha, mas indico de coração. É uma cidade medieval, de praia, das melhores comidas, coincidências e das pessoas calorosas.

  • vou ser sempre repetitiva mesmo e ficar maravilhada com as tuas fotografias 🙂 e acho que o gostoso de viajar é se permitir sair do roteiro, fazer coisas diferentes, conhecer pessoas 🙂

  • Descobri seu blog e suas fotos maravilhosas graças ao blog da Karine Brito e já li ele todo, mas só agora resolvi deixar um comentário. Essas coisas que acontecem em viagens são inexplicáveis e tornam a experiência ainda mais marcante. Que bom que você conseguiu fazer um retrato dele. <3