0
Ensaios Viagens

Curitiba Analog

29 de novembro de 2016

Falei que vinha mais de Curitiba, e tchanam: mais um fruto da minha parceria infinita com a Mellise Dantas, fundadora talentosa da @ShopNeptunia e amiga querida.

Depois de dias de andanças e muito, muito açúcar por Curitiba, encontramos a Janis e Gisah pra um dia de fotos. Finalmente fazia sol depois de tanto frio, e não se deixem enganar pelo lugar bonito: choveu, fomos devoradas por mosquitos, comecei uma discussão com a Mellise, mas, no fim, tudo deu certo como tinha que dar.

Algumas pessoas me perguntaram sobre meu processo – do planejamento ao tratamento de imagens de um ensaio – e percebi que fiquei um pouco desamparada ao pensar no que dizer. Porque fotografar tem sido uma série de erros, desde o começo. Como nesse trecho que reli hoje de Um, nenhum e cem mil, do Luigi Pirandello:

“Parava a cada passo, primeiro a distância, depois girando em torno de cada pedrinha que eu encontrava no caminho, espantando-me de que os outros pudessem passar adiante sem dar a mínima atenção àquela pedrinha que, entretanto, para mim, havia assumido as proporções de uma montanha intransponível, aliás, de um mundo em que eu teria podido morar tranquilamente.”

Uma série de pedrinhas com proporção de mundos, que nada têm a ver com os caminhos originais. Foi um curso com a fotógrafa Mari Caldas que me fez tranquilizar um pouco em relação a isso. “Planejar um ensaio não é planejar fotos, mas abrir espaço pra boa foto acontecer” – em transcrição muito livre. Um primeiro passo rumo à aceitação desse meu processo caótico, à tentativa de acolher o imprevisível e digeri-lo em elementos novos e bons.

Curitiba Analog • Naira Mattia Curitiba Analog • Naira Mattia Curitiba Analog • Naira Mattia Curitiba Analog • Naira Mattia Curitiba Analog • Naira Mattia Curitiba Analog • Naira Mattia

 

As imagens foram tratadas os presets curitiba analog girly afternoons.

  • eu não sei lidar com as tuas fotos. eu fico boquiaberta.
    lindas demais, lindas demais ♥